Biópsia Prostática

O que é uma Biópsia Prostática?

A biópsia prostática trans-rectal é um exame em que se colhem pequenos fragmentos cilíndricos de tecido prostático, que posteriormente são analisados em laboratório por médicos especialisas em Anatomia Patológica.

O diagnóstico definitivo do cancro da próstata é apenas obtido com a realização desta biópsia ecoguiada. 

Por vezes, é necessário repetir duas ou mesmo três vezes a biópsia deste órgão, se os achados não forem totalmente esclarecedores ou se a suspeita da presença de um tumor for elevada e as sucessivas biópsias forem negativas.

Importância da Biópsia Prostática Trans-rectal

A biópsia prostática trans-rectal com posterior análise das células ao microscópio é muito importante no análise eficaz das patologias da próstata, pois é o único exame que permite o diagnóstico definitivo do carcinoma da próstata.

Por isso, este exame é vital e essencial para a avaliação correcta da doença, para o seu estadiamento e para definição das medidas de tratamento a adoptar.

Qual é o Procedimento da Biópsia Prostática Trans-rectal?

A biópsia deve ser realizada sob anestesia local quer do canal anal, com um gel especial anestésico, quer dos nervos em torno da próstata, através da injecção de um produto anestésico local.

Ao contrário do que alguns doentes pensam (muitos ficam muito receosos em fazer este exame e, na altura da sua realização, estão geralmente ansiosos e apreensivos), a biópsia é um exame muito bem tolerado, desde que realizado nas condições adequadas.

Quando se realiza uma biópsia, devem ser colhidos, pelo menos, 12 fragmentos para análise, ou seja, pelo menos 6 fragmentos de cada lobo (“meia” próstata), em regiões padronizadas, previamente definidas e standardizadas, de acordo com protocolos bem definidos e rigorosos. 

Na maior parte dos casos, actualmente, retiram-se 12 ou 14 fragmentos da próstata, neste tipo de biópsia.

Realização da Biópsia de Saturação

Em alguns casos específicos, pode ser necessária a chamada biópsia de saturação. 

Nesta técnica, efectua-se uma biópsia padronizada, com um template - ou seja, com uma colheita uniformizada de fragmentos de todas as regiões da próstata - obtendo-se 30, 40 ou mais fragmentos, dependendo do volume da próstata. Esta é geralmente efectuada por via perineal (e não trans-rectal, como é mais frequente).

A biópsia de saturação pode ser utilizada em doentes em que existe uma grande suspeita de cancro da próstata (pelo toque rectal ou pelo valor do PSA) mas que já realizaram previamente biópsia(s), que foram negativas (ou seja, não revelaram células neoplásicas).

Nestes pacientes, está recomendada a realização desta técnica para esclarecimento etiológico “definitivo”.

Em alguns casos muito seleccionados, pode ser efectuada tendo em vista a realização de um tratamento focal da próstata (ou seja, em que se trata apenas uma parte do órgão, sem o remover cirurgicamente na sua totalidade ou sem o tratar em todo o seu volume, por exemplo com crioterapia).

Nestes casos, é essencial determinar a zona ou as zonas da próstata afectadas pelo tumor. Serão estas as zonas a tratar, preservando o restante orgão.

 

Complicações da Biópsia Prostática Trans-rectal

As complicações que podem decorrer da biópsia são a ocorrência de hemorragia e o desenvolvimento de uma infecção (prostatite).

Para combater estas complicações, os pacientes recebem indicações precisas para realizarem uma correcta preparação para a biópsia, que incluem a suspensão de medicamentos anti-agregantes ou anti-coagulantes alguns dias antes da biópsia, a realização de micro-clister para limpeza intestinal/rectal e a toma profilática de antibiótico, que deve começar na véspera do exame e habitualmente se prolonga por 5 dias após o mesmo.

Os Urologistas do Instituto da Próstata possuem uma vasta experiência na execução deste e doutros exames relacionados com a próstata, garantindo um máximo de eficácia com o mínimo desconforto possível, inerente a estes exames, sendo os mesmos executados de acordo com os critérios recomendados pelas mais importantes e prestigiadas Associações internacionais de Urologia.

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Perguntas Frequentes sobre Biópsia Prostática Trans-rectal

O que é uma Biópsia Prostática Trans-rectal?

icon down

Em que Situações é Necessário Fazer uma Biópsia Prostática?

icon down

Como é o Procedimento da Biópsia Prostática Trans-rectal?

icon down

Uma Biópsia Exige um Internamento Hospitalar?

icon down

Pedido de Marcação de Consulta