Fluxometria Urinária

O que é a Fluxometria Urinária?

A Fluxometria Urinária, também conhecida como Urofluxometria, é um exame não invasivo que consiste na medição do fluxo da urina. 

É registado ao longo da micção e pretende medir a "velocidade", o débito com que a urina é expelida em ml/segundo.

Ao registar o fluxo urinário é possível avaliar o tempo que a pessoa demora a iniciar a micção, a "força" do jacto urinário, a quantidade de urina que foi eliminada e quanto tempo demora a urinar.

Importância da Fluxometria Urinária

Este exame é muito importante para o estudo de algumas patologias. Fornece informação útil em casos de problemas como Incontinência Urinária Masculina, Incontinência Urinária Feminina, Hiperplasia Benigna da Próstata, Cancro da Próstata, ou estenoses na uretra.

Geralmente o paciente como dificuldades a urinar ou a esvaziar a bexiga, micção lenta,  dores pélvicas, incontinência urinária ou um aumento das idas à casa de banho.

Perante estes quadros, a fluxometria urinária torna-se um meio complementar de diagnóstico muito simples, prático e útil para detectar as causas associadas.

Como é efectuado o Procedimento do Exame da Fluxometria Urinária?

A fluxometria urinária requer que a recolha seja feita num aparelho apropriado com uma parte com forma de um funil e um recipiente - o urofluxómetro.

O que se pretende é que o doente urine da forma mais normal possível, sem grandes esforços ou pressões, e sem tentar manipular a velocidade ou fluxo da micção.

Depois disso, e através do urofluxómetro, é possível registar a quantidade de urina, a taxa do fluxo, o fluxom áximo e médio e o tempo total até esvaziar a bexiga. É neste registo que vai ser possível avaliar se existe alguma diferença cos valores normais.

O urologista interpreta o relatório obtido em face dos valores encontrados, da história clínica do paciente e do resultado de outros possíveis exames complementares realizados.

Análise dos Resultados da Fluxometria Urinária

Neste exame são avaliados múltiplos parâmetros, como a fluxo máximo (o achado mais importante), o fluxo médio, o tempo de micção, a morfologia da curva ou o volume urinado, entre outros.

Todos são importantes e devem ser avaliados em conjunto. 

Quando o fluxo máximo é baixo pode significar que existe um aumento da próstata, uma obstrução na uretra ou uma bexiga que tem uma contracção inferior ao normal.

Se o fluxo for mais elevado do que a média pode significar que a musculatura da bexiga tem uma boa capacidade e contrai muito bem (por exemplo em jovens), que as estruturas em torno da uretra são mais "fracas" e laxas ou que existem problemas de incontinência urinária.

A morfologia da curva é também sugestiva de diferentes doenças e ajuda a orientar o diagnóstico e a esclarecer a causa de um determinado quadro clínico.

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Perguntas Frequentes sobre Fluxometria Urinária

O que é a Fluxometria Urinária?

icon down

Este exame provoca algum tipo de dor?

icon down

A Fluxometria Urinária é um exame útil para as Patologias da Próstata?

icon down
Referências

Pedido de Marcação de Consulta