Incontinência Urinária Feminina

O que é a Incontinência Urinária Feminina?

A incontinência urinária feminina caracteriza-se pela perda de urina de forma involuntária. A sua frequência aumenta com a idade, surgindo habitualmente em mulheres a partir dos 40 anos e sendo muito frequente em mulheres de idade avançada..

Esta condição, apesar de benigna, pode diminuir significativamente a qualidade de vida, a auto-estima e limitar significativamente as actividades do dia-a-dia, condicionando o bem estar geral e levando muitas vezes a síndromes depressivos.

A paciente vive com medo constante de ter perdas, de que estas sejam notadas pelos outros; receiam que as pessoas que a rodeiam sintam o cheiro da urina, evitando muitas vezes sair de casa ou até realizar as actividades mais básicas e simples do dia a dia, sabendo que estas podem desencadear perdas de urina

Factores de risco da Incontinência Urinária

Os principais factores de risco para as mulheres são:
Gravidez
Número de gravidezes e número de partos por via vaginal
Obesidade
Obesidade, que potencia e perpetua a incontinência urinária

Para além destes, podem sofrer desta manifestação as mulheres que tenham défice de estrogénios, alterações estruturais do pavimento pélvico ou da mucosa urogenital (alterações que se acentuam após a menopausa), diabetes e demência ou perda de capacidades cognitivas.

Sintomas da Incontinência Urinária Feminina

O sintoma de incontinência é... ocorrer perda de urina. É muito frequente as doentes referirem em consulta "eu perco urina de vez em quando, mas não tenho incontinência!"...

Existem vários tipos de incontinência.

Pode surgir quando associada a esforços que aumentam a pressão abdominal (como tosse, espirros, levantamento de pesos, corrida, dança, exercício físico), sendo neste caso designada por Incontinência Urinária de Esforço.

Pode surgir associada a vontade súbita de urinar. A doente tem uma sensação de urgência para urinar, sente que não consegue reter a micção e acaba por perder urina, É designada por Incontinência associada a hiperactividade da bexiga.

Em muitas mulheres estão presentes os dois tipos de incontinência. É a chamada Incontinência Mista. 

Os prolapsos de orgãos pélvicos (POP) associam-se frequentemente a este problema; cerca de 48% das mulheres têm algum grau de prolapso urogenital

Outras Origens dos Sintomas da Incontinência Urinária

Outro problema associado com a incontinência urinária são os prolapsos urogenitais; cerca de 48% das mulheres têm algum grau de prolapso urogenital.

As doenças do pavimento pélvico, quando concomitantes, devem ser estudadas em conjunto e o tratamento deve, sempre que possível e indicado, ser simultâneo. 

Por exemplo, a correcção cirúrgica isolada de um prolapso urogenital pode desmascarar uma incontinência que deve, sempre que possível, ser corrigida no mesmo tempo operatório.

Diagnóstico da Incontinência Urinária Feminina

O diagnóstico é clínico e imediato, fornecido de forma célere e simples pelas pacientes. Em regra, a incontinência em si é bastante simples de avaliar e diagnosticar.

O aspecto mais importante para um bom diagnóstico, no entanto, prende-se com a correcta caracterização da incontinência e da avaliação do tipo de incontinência urinária da doente.

Depois da realização da história clínica e de um cuidadoso exame objectivo (que inclui o exame ginecológico), que ajudam a esclarecer pormenores relevantes do foro urológico, obstétrico e ginecológico, são feitos alguns exames como uma urofluxometria, ecografias, análises ao sangue e urina, um estudo urodinâmico completo ou uma cistoscopia.

Estes ajudam a esclarecer se existem discrepâncias entre a sintomatologia e a observação clínica e a confirmar o tipo de incontinência específico da doente.

Video Incontinencia Urinaria
A Dra. Daniela Moutinho explica o que é a Incontinência Urinária

Tem algum dos sintomas da Incontinência Urinária?

Se tem dúvidas sobre os sintomas ou pretende obter um diagnóstico correcto, agende uma consulta no Instituto da Próstata.

Tratamento da Incontinência Urinária Feminina

O tratamento escolhido depende do tipo de incontinência diagnosticado, sendo selecionado o mais adequado à doente específica. Existem diferentes soluções terapêuticas.

Na maioria dos casos os tratamentos são relativamente simples e têm óptimos resultados imediatos e que se mantêm a médio e longo prazo.

Actualmente os tratamentos mais conhecidos e realizados são as cirurgias minimamente invasivas (como as cirurgias de “sling”, ou alça sub-uretral trans-obturadora) e a reabilitação pélvica/fisioterapia. Esta última inclui os exercícios de Kegel mas incluem também a electrostimulação e o bio-feedback, para fortalecimento dos músculos pélvicos.

No entanto, as modificações de hábitos de vida, as alterações comportamentais e a medicação oral ou intra-vesical podem ter um papel relevante ou mesmo fundamental, para complementar a eficácia das técnicas acima referidas, nomeadamente na incontinência associada à imperiosidade e à bexiga hiperactiva.

Terapêutica Médica para a Incontinência Urinária

Existem vários tipos de incontinência e alguns deles podem ser tratados com terapêutica médica. Saiba mais.

Reabilitação Pélvica para a Incontinência Urinária

Este tratamento não se foca apenas na fisioterapia e nos exercícios para melhorar a função e cpacidade dos músculos do pavimento pélvico, mas também nas técnicas de electrostimulação e biofeedback.

Cirurgias Minimamente Invasivas para Incontinência Urinária

Estas técnicas cirúrgicas minimamente invasivas para a Incontinência Urinária são rápidas, seguras e pouco invasivas.

Prognóstico da Incontinência Urinária Feminina

O prognóstico é positivo, pois os tratamentos para esta condição são, na sua maioria, bastante eficientes. Além disso, este problema urinário tem uma baixa taxa de recidiva dos sintomas.

Habitualmente as pacientes recuperam a qualidade de vida, podem voltar à "normalidade" e às rotinas diárias sem qualquer limitação. 

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Perguntas Frequentes sobre Incontinência Urinária Feminina

A Incontinência Urinária acontece mais nas mulheres do que nos homens?

icon down

Os partos aumentam a probabilidade de ter Incontinência Urinária?

icon down

Quais são os principais sintomas da Incontinência Urinária?

icon down

Como é feito o diagnóstico da Incontinência Urinária?

icon down
Referências

Pedido de Marcação de Consulta