Crioterapia para o Cancro da Próstata

Em que consiste a Crioterapia?

A Crioterapia Prostática utiliza temperaturas extremamente baixas para congelar e destruir as células neoplásicas da próstata. 

É uma técnica minimamente invasiva, muito eficaz e com bons resultados no tratamento dos tumores localizados da próstata ou com baixo e médio risco de disseminação. É também utilizada com sucesso no tratamento das recidivas do cancro da próstata - por exemplo após radioterapia externa, cirurgia ou braquiterapia.

Esta opção terapêutica recorre à utilização de agulhas especiais, nas quais circula um gás líquido, por norma o árgon, que submete a próstata a frio intenso, de forma controlada, destruindo o tecido cancerígeno deste órgão.

Como é o Procedimento da Crioterapia?

A crioterapia envolve a utilização de anestesia geral ou raquianestesia. Não se sente qualquer tipo de dor ou desconforto. 

Caso tenha uma próstata demasiado volumosa, o médico pode receitar uma terapia prévia para reduzir o tamanho do orgão antes da sessão de crioterapia. 

O especialista recorre a sondas (agulhas) que são inseridas na pele, na zona entre o escroto e o ânus. 

O procedimento é realizado em tempo real mediante o controle por ecografia, bem como da temperatura atingida. Recorre, por isso, a um equipamento e software sofisticados. 

Na extremidade destas agulhas, criam-se temperaturas extremamente baixas, gerando “bolas” de gelo (-40ºC).

As células tumorais são mais sensíveis à congelação/descongelação, sendo possível destruir estas células pela acção do frio.

Para garantir que o tumor é eliminado mas que não há danos nos tecidos adjacentes à próstata, é colocado um catéter na uretra por onde passa um líquido aquecido. 

Desta forma, garante-se que a uretra (tubo por onde a urina é expelida) não congela nem é afectada pelo frio.

São ainda utilizados sensores que indicam a temperatura em diversos pontos (no interior da próstata, no esfíncter ou na parede rectal), para garantir a segurança do procedimento.

Indicações

A técnica da crioterapia era, até há pouco tempo, recomendada apenas para tumores localmente avançados ou após a falência de outras técnicas. Por exemplo, quando ocorria uma recidiva local após cirurgia, radioterapia ou braquiterapia.

Contudo, devido à eficácia demonstrada pela abordagem, as indicações estenderam-se a alguns casos de tumores localizados da próstata. Pode ser efectuada em toda a glândula ou apenas nas áreas específicas onde se encontra o tumor - sendo neste caso designada por terapêutica focal.

A crioterapia é indicada como uma opção viável para tratar homens com cancro da próstata em fase inicial e com baixo risco, mas que não podem ou não querem ser submetidos a uma intervenção cirúrgica ou a tratamentos de radioterapia.

Apesar dos bons resultados, raramente a crioterapia prostática é a primeira escolha no tratamento do cancro. 

Vantagens da Crioterapia

O tratamento mais indicado para um paciente, não é necessariamente o mais vantajoso para outro. Um urologista que se dedique ao cancro da próstata é o profissional indicado para avaliar e ponderar as vantagens e os inconvenientes desta técnica.

Contudo, a crioterapia é menos invasiva e tem menos efeitos secundários do que a cirurgia, tais como: 

  • Reduzida perda de sangue; 
  • Menor tempo de internamento hospitalar; 
  • Menos dor no pós-intervenção.

Outro dos benefícios é a possibilidade de recorrer à crioterapia se o cancro regressar após um tratamento de radioterapia, cirurgia ou braquiterapia ou mesmo se a terapêutica primária foi também com crio (o que não acontece com outros tipos de tratamentos).

Quer saber mais sobre este tratamento?

A crioterapia é uma opção terapêutica muito eficaz e com bons resultados no tratamento dos tumores localizados da próstata ou com baixo ou médio risco de disseminação.

Como é o Pós-tratamento da Crioterapia?

A maioria dos doentes tem alta hospitalar e regressa a casa no dia seguinte à intervenção ou no próprio dia. 

É normal ter algum desconforto ou dor. Caso sejam limitativas, o médico pode prescrever alguns medicamentos para aliviar estes sintomas passageiros. 

Os efeitos secundários tendem a ser mais expressivos nos doentes submetidos a tratamentos anteriores, por exemplo, depois de radioterapia ou braquiterapia. 

Por norma, os sintomas indesejados relacionam-se com lesões provocados na próstata ou em estruturas contíguas.

Podem incluir a presença de sangue na urina, devido à presença do catéter, dor passageira no local onde foram inseridas as agulhas e edema temporário do do pénis, do escroto ou do períneo.

A crioterapia pode causar dificuldade em urinar ou incontinência urinária, mas estas manifestações tendem a passar com o tempo. Dependem da resposta de cada doente ao tratamento. No entanto, a probabilidade de ocorrência destas complicações é maior quando a crioterapia é o segundo tratamento efectuado (ou seja, um tratamento de salvação, por recidiva após a realização de outro tratamento). Pode também ocorrer dificuldade de erecção, tal como noutros tratamentos do cancro da próstata.  

Após a intervenção, são realizadas análises sanguíneas para determinar o valor do PSA (antígeno específico da próstata), que constitui um indicador da eficácia do tratamento.

O médico pode indicar a realização de exames de imagiologia após o procedimento para perceber se o cancro foi totalmente eliminado.

A frequência das consultas de follow-up no pós-operatório, depende da situação clínica de cada doente. O médico elabora um plano personalizado, em função das características específicas de cada doente, pelo que se for submetido a este tratamento deverá seguir as indicações do médico que o tratou. 

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Perguntas Frequentes sobre Crioterapia para o Cancro da Próstata

O que é o tratamento de Crioterapia?

icon down

Como é feito o tratamento de Crioterapia?

icon down

Existe algum tratamento complementar à Crioterapia?

icon down

A Crioterapia provoca efeitos secundários?

icon down
Referências

Pedido de Marcação de Consulta