Tratamento da Hiperplasia Benigna da Próstata

Em que consiste o Tratamento da Hiperplasia Benigna da Próstata?

Existem diversos tratamentos disponíveis para ajudar os doentes com Hiperplasia Benigna da Próstata (HBP). 

O aumento do volume da próstata, nem sempre precisa de intervenção terapêutica. 

Nalguns casos, o "tratamento" passa apenas pela vigilância da doença. Homens com queixas ligeiras ou sem sintomas, que não têm uma repercussão significativa no seu bem-estar, acabam por seguir esta orientação. Porém, esta é apenas uma pequena percentagem das situações.

Grande parte dos doentes com HBP precisam de:

  • Tratamento farmacológico, nos casos de sintomatologia moderada (ou grave);
  • Cirurgia ou tratamentos minimamente invasivos, nas situações moderadas ou graves, com sintomas que perturbam a qualidade de vida. 

Se não for tratada, a patologia pode levar a complicações graves, como a insuficiência renal ou a retenção urinária. 

A terapêutica médica envolve vários medicamentos com efeitos diferentes, que devem ser adaptados a cada doente e a cada situação.

No caso das técnicas cirúrgicas ou minimamente invasivas, nos últimos anos assistiu-se à utilização de diversas técnicas inovadoras, muito eficazes e minimamente invasivas, para o tratamento da HBP, para além das já conhecidas operações convencionais.

Quais os Tratamentos para a Hiperplasia Benigna da Próstata?

O tratamento escolhido varia de acordo com a sintomatologia do doente e com a intensidade das queixas apresentadas.

Os dados provenientes da história clínica e dos exames complementares determinam qual o melhor procedimento e as medidas que devem ser implementada. 

A vigilância está indicada, sobretudo, para os doentes:

  • Jovens com próstatas de pequeno volume ou com sintomas ligeiros e fluxo urinário quase normal;
  • Doentes sem complicações e sem sintomas;
  • Doentes cuja sintomatologia tem reduzida interferência na sua qualidade de vida.

A vigilância não significa, no entanto, que não possam ser adoptadas medidas relacionadas com a mudança de hábitos e comportamentos ou a toma de fármacos, que procuram diminuir a sintomatologia e potenciar o bem-estar dos doentes. O tratamento médico deve ser implementado em todos os casos sintomáticos, porque os fármacos ajudam a gerir melhor os sintomas. 

Para os casos moderados a graves, ou quando os medicamentos não surtem o efeito desejado, estão reservadas as outras formas de tratamentos - mais ou menos invasivos. 

Na presença de queixas urinárias com interferência franca na qualidade de vida e que não melhoram com a terapêutica médica, estas técnicas são necessárias.

Laser da Próstata para HBP

O tratamento com laser é uma tecnologia recente e inovadora com resultados muito positivos, no tratamento dos doentes com Hiperplasia Benigna da Próstata.

Rezum e Outras Técnicas para HBP

Este novo tratamento permite tratar a HBP de uma forma mais eficaz e menos agressiva do que as outras técnicas minimamente invasivas.

Cirurgia Clássica Aberta para HBP

A cirurgia clássica aberta, também designada de prostatectomia aberta, é uma técnica cirúrgica que envolve a remoção do tecido hiperplásico aumentado de volume.

Cirurgia Endoscópica para HBP

O objectivo da intervenção passa por remover a parte da próstata que está aumentada, por via endoscópica.

Cirurgia Laparoscópica para HBP

A cirurgia envolve a remoção da parte interna da próstata que está a provocar a obstrução e as queixas urinárias.

Terapêutica Médica para HBP

A terapêutica médica inclui a utilização de fármacos, bem como a adopção de medidas para aliviar as queixas de Hiperplasia Benigna da Próstata.

Como é o feito Acompanhamento dos Doentes após o Tratamento?

No caso de doentes com sintomas ligeiros, é necessária uma monitorização espaçada, ou seja, uma vigilância regular, adequada ao despiste precoce do agravamento dos sintomas, mas com um intervalo habitualmente anual.

Doentes com sintomas mais intensos e que estão sob terapêutica médica podem necessitar de avaliações a intervalos menores.

No caso de doentes submetidos a técnicas imnimmente invasivas ou a uma intervenção cirúrgica, os mesmos devem ser avaliados no pós-operatório imediato, diariamente, até à alta hospitalar. 

Deve ser realizada uma consulta nos primeiros 15-30 dias após a cirurgia/tratamento.

Daí para a frente, estes doentes devem realizar, pelo menos, uma avaliação anual, com toque rectal e avaliação do PSA, para despistar a eventual presença de cancro da próstata.

Quer saber mais sobre os tratamentos para a Hiperplasia Benigna da Próstata?

É possível tratar as queixas urinárias com a modificação de hábitos e comportamentos. Nos casos mais graves, existe um leque de opções terapêuticas com bons resultados e o mínimo de complicações. No Instituto da Próstata, os doentes são devidamente informados acerca das várias possibilidades terapêuticas e acompanhados durante todo o processo de tratamento.

Dr. José Santos Dias

Director Clínico do Instituto da Próstata

  • Licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa
  • Especialista em Urologia
  • Fellow do European Board of Urology
  • Autor dos livros "Tudo o que sempre quis saber Sobre Próstata", "Urologia fundamental na Prática Clínica", "Urologia em 10 minutos", "Casos Clínicos de Urologia" e "Protocolos de Urgência em Urologia"

Perguntas Frequentes sobre a Hiperplasia Benigna da Próstata

Quais são as consequências de não se tratar a HBP?

icon down

Que cuidados deve ter o doente com queixas urinárias causadas por HBP?

icon down

Qual é o tratamento mais adequado para a HBP?

icon down

É possível tratar a HBP através de tratamento farmacológico?

icon down

Que tipos de cirurgia existem para tratar a HBP?

icon down
Referências

Pedido de Marcação de Consulta